quarta-feira, 20 de julho de 2005

Antony and the Johnsons

Antony polo chãoA banda nova-iorquina Antony and the Johnsons actua em Compostela amanhã, 21 de julho, às 23:30.

Para quem interessar, deixo aqui a ligaçom para um documento coas letras das suas canções, incluindo umha traduçom de Óscar Mendes e Milton Amado do poema "The Lake" de Edgar Allan Poe.

Neste vídeo pode ver-se a interpretaçom feita no Círculo de Belas Artes de Madrid, no 28 de março passado, da sua versom do poema.

Bom proveito...






The Lake

Edgar Allen Poe (1827)

In spring of youth it was my lot
To haunt of the wide world a spot
The which I could not love the less-
So lovely was the loneliness
Of a wild lake, with black rock bound,
And the tall pines that towered around.

But when the Night had thrown her pall
Upon that spot, as upon all,
And the mystic wind went by
Murmuring in melody-
Then- ah then I would awake
To the terror of the lone lake.

Yet that terror was not fright,
But a tremulous delight-
A feeling not the jewelled mine
Could teach or bribe me to define-
Nor Love- although the Love were thine.

Death was in that poisonous wave,
And in its gulf a fitting grave
For him who thence could solace bring
To his lone imagining-
Whose solitary soul could make
An Eden of that dim lake.

O Lago

(Trad. de Oscar Mendes e Milton Amado)

No verdor de meus anos, meu destino foi só
habitar, de todo o vasto mundo,
uma região que amei mais do que todas,
tanto encantava a solidão de um lago
selvagem, que cercavam negras rochas
e altos pinheiros, dominando tudo.

Mas quando a Noite, em treva, amortalhava
esse recanto e o mundo, e o vento místico
chegava, murmurando melopéias,
então, ah! sempre em mim se despertava
o terror desse lago solitário.


Não era, esse, um terror, porém, de espanto,
mas um delicioso calafrio,
sentimento que as jóias mais preciosas
não inspiram, nem fazem definir;
nem mesmo o amor, nem mesmo o teu amor.

Reinava a Morte na água envenenada
e seu abismo era um sepulcro digno
de quem pudesse ali achar consolo
para seus pensamentos taciturnos,
de quem a alma pudesse, desolada,
no torvo lago ter um Paraíso.




domingo, 17 de julho de 2005

O espanholismo alerta

Portada do jornal madrileno Ahora de 28/06/05Página do jornal madrileno Ahora de 28/06/05




























(calcar nas imagens para vê-las ampliadas)

Esta é a visom da situaçom política depois do resultado das últimas eleições galegas que davam a portada e a notícia da página 3 do diário madrileno de distribuiçom gratuita Ahora da terça-feira 28 de junho passado, jornal de que já falei aqui.

segunda-feira, 11 de julho de 2005

Dívida histórica: Homologaçom e facto diferencial

A configuraçom política do Estado espanhol, que parece pretender a homologaçom dos diversos povos que envolve, nom consegue impedir que mais cedo que tarde acabe por emergir a hierarquizaçom dos diversos grupos nacionais que subjaz ao discurso estatal falsamente igualitário. O problema provém de pretender igualar realidades diferenciadas, sem levar em conta as diferenças, ou diferenciar aspectos homologáveis produzindo na Galiza um tratamento injusto e subordinado bem conhecido.

Umha das formas em que assoma esta contradiçom é a do conflito ou contraste entre o Estado e Galiza ou entre Galiza e outras comunidades. Nas recentes eleições autonómicas vimos o facto diferencial eleitoral galego, co voto emigrante, como já tratei aqui.

Agora, coas conversas entre os futuros sócios de governo, estám a aflorar outras contradições deste tipo, como a da dívida histórica, em torno à qual o BNG vem demandando um pacto nacional desde hai tempo.

No fim de semana passado, Emílio Pérez Touriño manifestou os seus reparos a aceitar o conceito de "dívida histórica", apesar de o Secretário Geral do PSOE Estatal tê-lo admitido inicialmente. Já antes, Rodríguez Ibarra, presidente de Extremadura, negava a existência de tal dívida histórica.

Ora, é curioso que o partidário e nacionalista termo "dívida histórica" seja exactamente o que aparece na reivindicaçom do último parágrafo da exposiçom de motivos do Orçamento Geral da Comunidade extremenha de 2005 e em anos anteriores... E que esse mesmo termo esteja a ser usado nestes dias em Andaluzia, que desde hai anos fai a mesma reclamaçom.

Enfim, também co debate sobre o conceito "dívida histórica" fica à vista, mais umha vez, o comportamento dos partidos estatais e que o sentido em que chega a Galiza a pretensa homologaçom das comunidades autónomas nom é outro que o da subordinaçom.

segunda-feira, 4 de julho de 2005

Homossexualidade e plurinacionalidade no Estado Espanhol

Na noite de sábado passado, 2 de julho, o canal "La 2" de Televisom Espanhola modificou a programaçom prevista e, aproveitando que aquele dia fora aprovada a conhecida como Lei do Matrimónio Homossexual, substituírom o filme inicialmente previsto no espaço "Versión Española" por Carícies, de Ventura Pons.

Mas está visto que TVE deve considerar o catalám umha língua estrangeira, umha vez que a cópia projectada no citado programa foi a versom dobrada ao castelhano, privando assi aos espectadores, e nomeadamente aos milhões de catalanófonos do Estado, de ver o filme na versom original em catalám.