terça-feira, 21 de fevereiro de 2006

De Brokeback Mountain aos bascos

Brokeback Mountain é, sem dúvida, o filme do momento. Um dos preferidos polo público e melhor considerados pola crítica da colheita 2005 e todo um fenómeno social que, tomando como base umha história de amor trágico, proibido por umha sociedade homofóbica, entre dous homes de resto nada incomuns no seu contexto, está conseguindo influir na percepçom social da homossexualidade e das conseqüências negativas da homofobia nom apenas para a populaçom GLBT, mas também para as pessoas de orientaçom principal ou exclusivamente heterossexual.

Que o filme mexe coas consciências mostra-o o incomodo de certa audiência imadura, que dá em rir nalgumhas das seqüências mais tensas ou dramáticas, como relatam Fabas Contadas e Pena Moura.

A atençom que está a concitar o filme na blogosfera, e em geral na Internet, é proporcional ao seu impacto social, mas ainda nom tenho visto nengumha referência à estranha aparência da personagem basca de Brokeback Mountain, que no relato original era um «bandy-legged Basque» (basco de pernas tortas) e que no filme é o encarregado de fornecer alimentos aos dous pastores e diz a Ennis del Mar que nom pida sopa, porque é mui difícil de empacotar (min. 8, seg. 43).



Este basco está claramente aparentado com aqueles de MacGyver de que se vem falando ultimamente no Blogomilho (e também recentemente eram referidos nas blogosferas basca, catalã e espanhola), recomendando um hilariante vídeo dum dos episódios da série que começa relatando a imemorial luita dos bascos contra os espanhóis e os franceses, que seqüêstram estadunidenses e andam à procura da bomba atómica.



Este vídeo, do que já falara Sabela hai quase um ano e que foi emitido hai poucos dias em Noche Hache, pode também ver-se em Google Video na versom original e em espanhol, e noutro blogue encontramos algumhas capturas.


2 comentários:

acedre disse...

Ola. Dicir que mirei a pelicula Brokeback Mountain e unha das cousas que me extranhou foi o do proveedor de suministros que semellaba basco. De feito, por muitas montanhas americanas foron bascos a cuidar ovellas e gracias aos descendentes o estado de Nevada reconhece o dereito dos bascos a autodeterminacion.
Aqui deixo o enderezo para que mires que me fixei no detalle do basco na pelicula.
http://eueoseeuu.blogspot.com/2006/02/auganeve-e-cinema.html

J. Manuel Outeiro disse...

Obrigado pola ligaçom e a referência basca que eu nom lera.
Nom me lembrava já que fora Nevada o Estado que aprovara umha declaraçom favorável ao direito de autodeterminaçom do País Basco, mas nom esqueço o mal que sentou aquilo ao governo Aznar, e em geral aos imperialistas fracassados.

Além do aspecto mestiço sudamericano do basco, também estranha o sotaque dos pastores com quem se cruzam Jack Twist e Ennis del Mar quando se misturam as ovelhas de uns e outros. No filme Jack diz a Ennis que vai separar as ovelhas "chilenas" das deles e efectivamente no relato original o pastor (que no filme som dous) das outras ovelhas era chileno, mas na fita ouve-se sotaque cubano.