segunda-feira, 30 de julho de 2007

O Valedor do povo e a língua

Todas as suspeitas que levantárom os elogios feitos nos meios mais galegófobos ao "profundo conhecimento do galego" (ABC) ou à realizaçom dos cursos de iniciaçom e aperfeiçoamento (a Voz) da nossa língua por parte do novo Valedor do Povo, Benigno López, vam confirmando-se, após a entrevista à TVG que concedeu esta manhã. O seu péssimo galego, inclusive pior que o de Emilio Pérez Touriño ou Laura Elena Sánchez Piñón, reflecte umha atitude pouco respeitosa, ou antes desprezativa, cara à língua. Se indivíduos com essa capacidade de desfigurar a língua nacional conseguem méritos polo seu "conhecimento" ou polos cursos feitos, é que a avaliaçom do galego deve fazer-se de outra forma, valorizando o uso prático e a correcçom sintáctica e fonética, e que os cursos de galego nom garantem o devido domínio lingüístico.

Num país onde os direitos lingüísticos nom som respeitados e com freqüência os seus defensores sofrem graves discriminações, cabe ainda esperar algum contributo positivo dum Valedor como este? Como se explica que tenha sido eleito por unanimidade e portanto co apoio dos sectores do Parlamento Galego mais comprometidos coa língua, e nomeadamente o BNG?